• White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Pinterest Icon
  • White Instagram Icon

© 2017 by #FalaPiloto.

Proudly created with Wix.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Meikon estreia no Red Bull Rookies Cup

12 May 2017

 Meikon Kawakami e equipe Yamaha no SBK Brasil, temporada 2016 - Foto: Johanes Duarte

 

Meikon estreou com posições intermediárias e agora se prepara para etapa na Holanda

 

“Posso garantir que vou dar o máximo para que, no futuro, possamos ter a bandeira do Brasil no alto do pódio”. Essas palavras são de Meikon Kawakami, piloto brasileiro que representa o país no Red Bull MotoGP Rookies Cup, uma das mais importantes competições de motovelocidade que revela e credencia jovens talentos para o MotoGP. O depoimento de Meikon foi dado logo após sua estreia na 1ª etapa da competição, prova realizada nos dias 6 e 7 de maio no Circuito de Jerez, na Espanha. O piloto brasileiro abriu a temporada 2017 como 10º colocado na primeira bateria e 11º na largada seguinte, isso dentre um total de 23 competidores.

 

“Sem dúvida não obtive o resultado que eu queria, mas foi um final de semana inesquecível, onde pude aprender muito com os erros que cometi e, assim, me dedicar cada vez mais”, comentou o jovem competidor brasileiro de apenas 15 anos.

 

Mas a missão de Meikon foi bastante dura. O piloto correu em um circuito diferente, numa competição nova e em outro país. E apesar de já ter sido campeão em campeonatos internacionais, como no Moriwaki 250 Junior Cup em 2016, toda a estreia pode trazer algum nervosismo – o que de fato aconteceu, como ele mesmo comentou em carta publicada.

 

Com os resultados da abertura do Red Bull Rookies Cup, Meikon Kawakami ocupa a 9ª posição no classificatório geral, com 11 pontos, e parte para a próxima rodada, na Holanda, com o objetivo de brigar pelo pódio. Agora resta conter a ansiedade e aguardar pela 2ª etapa, que será realizada nos dias 25 e 26 de junho, no TT Circuito de Assen.

 

Confira abaixo o depoimento completo de Meikon Kawakami, publicado originalmente por Fausto Macieira, no blog Mundo Moto:

 

“Olá, pessoal! Terminada a 1ª etapa de um sonho, a Red Bull MotoGP Rookies Cup, onde participei de duas das treze corridas da temporada 2017 ficando, respectivamente, em décimo e décimo primeiro.

Cheguei ao autódromo de Jerez de la Frontera (Espanha) na quinta feira. Fui direto à base da Red Bull Rookies para pegar minha credencial e me familiarizar com tudo aquilo que, até então, só tinha visto pela televisão. Estava muito feliz ao ver toda a estrutura da MotoGP, Moto2 e Moto3 e não conseguia acreditar que tudo aquilo era de verdade.

Na sexta feira, o grande dia da estreia. Logo pela manhã participei do meu primeiro treino com pista molhada. Estava com muita ansiedade de viver tudo aquilo. Mas fiz tudo com muita cautela e, ufa, deu certo. Primeiro treino finalizado e, realmente, não era um sonho aquele momento, que acabaria assim que eu acordasse, eu tinha acabado do participar meu primeiro treino dentro de um evento da MotoGP, mesmo que dentro de uma categoria de acesso

Já no segundo treino, com pista seca, já me sentia mais à vontade e bem confiante. Tive um ritmo bacana para um estreante e terminei na 12ª posição. Então para finalizar o dia, o treino classificatório, que definiria a posição de largada para as duas corridas. Para mim, esse foi o pior momento de todo final de semana. Não consegui andar tranquilo na moto; comecei a errar o traçado e posicionamento em cima dela, não conseguindo sequer repetir o meu  tempo do treino anterior e, assim, me classificando apenas na 16ª posição para as duas corridas.

Já mais relaxado após o dia de estreia no evento MotoGP, pude me dar conta que algumas coisas não estavam como sempre tinha sonhado. Eu estava me sentindo pressionado por mim. Para vocês terem uma ideia, passei o dia deslocado das pessoas que me acompanhavam e sequer consegui assistir aos treinos da MotoGP, Moto2 e Moto3. Logo eu, que não perco esse espetáculo por nada e estava ali, podendo assistir ao vivo, a apenas alguns metros da pista.

Foi quando pedi a ajuda das pessoas que me acompanhavam; minha mãe Mayumi, Nico Ferreira e ao Alan Douglas. Tivemos uma boa conversa e percebi que estava me cobrando sem necessidade, e que, na verdade, estava lá para me divertir e viver o meu sonho

No sábado, dia da primeira corrida, acordei mais alegre e disposto. Chegando ao autódromo, já fui direto assistir os treinos das categorias principais, me sentindo mais aliviado e pronto para a corrida. Logo na primeira curva aconteceu um acidente que envolveu quatro motos. Todo mundo freou e eu, que vinha no pelotão de trás, não consegui desviar e acabei batendo em outro piloto, perdendo tempo e caindo para a última posição da corrida.

Mantive a calma e comecei a fazer o que eu mais amo, que é correr de moto. Volta a volta ia fazendo diversas ultrapassagens e, assim, fui subindo na classificação da corrida. Na última volta ocupava a 7ª posição mas, devido a um acidente na volta anterior, a corrida terminou em bandeira vermelha, valendo a posição da última volta, onde eu ocupava a 10ª colocação.

Nem acreditava que eu tinha acabado a minha primeira corrida - e que corrida. Larguei lá de trás, quase cai logo na primeira curva, fiquei em último, pude fazer algumas ultrapassagens e, de quebra, baixei, em meio segundo, o meu tempo de volta do treino classificatório rs.

No domingo veio minha segunda corrida. Estava bem feliz, pois também tinha a corrida da MotoGP  kkk. Depois de assistir a todas as corridas de um jeito que, até então, para mim, era inédito, assistir de tão perto, chegou a hora da minha largada e fui para o grid confiante, devido ao meu desempenho da primeira corrida.

Quando apagou o farol, larguei mal, muito mal, fazendo novamente a primeira curva na última posição. Me concentrei e, assim, fui buscar os demais pilotos. Volta a volta, fazendo ultrapassagens, terminei a corrida na 11ª posição e, após as duas corridas, ocupo a 9ª colocação na classificação geral.

Sem dúvida não obtive o resultado que eu queria, mas foi um final de semana inesquecível, onde pude aprender muito com os erros que cometi e, assim, me dedicar cada vez mais. Agradeço, em especial a PlayStation, por sempre ter acreditado no meu potencial, a minha mãe Mayumi  e ao Alan Douglas, que estiveram presentes nesta etapa.

Também agradeço ao Nico Ferreira e sua família, por me receberem em sua casa na Espanha Todos tem me ajudado muito no meu dia a dia. Estou muito feliz em fazer parte do time da Red Bull Rookies Cup. Também quero agradecer a todos do meu país, pelo apoio e confiança que estão depositando em mim. Posso garantir que vou dar o máximo para que, no futuro, possamos ter a bandeira do Brasil no alto do pódio.

Muito obrigado.

Meikon Kawakami”

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

@FALAPILOTO
TAGS
Please reload

ARQUIVO
Please reload